30 de junho de 2017

Ateliê Artesanía Bijuterias no São João de Monteiro-PB

Entre os dias 23 e 28 de junho a cidade de Monteiro recebeu a festa de São João. Este ano a festa contou com dois ambientes: o palco principal e o Sítio São Francisco. O sítio era a reprodução de uma pequena vila com bares que imitavam a fachada de alguns prédios antigos da cidade, uma igreja, um coreto, um jardim com elementos típicos do entorno rural como o carro de boi e a moenda de cana. A vila também contou com um palco onde se apresentavam atrações locais e regionais que exaltavam a cultura da cidade, e as barracas de artesanato local.
Fotos do Sítio São Francisco em Monteiro: bares, palco, igreja e barracas de artesanato.
Coreto no Sítio São Francisco.
Durante a festa o Ateliê Artesanía Bijuterias e a Marcenaria Criativa de Érley Ventura também expuseram suas peças na Vila do Empreendedor, um espaço reservado para mostrar o artesanato de empreendedores da região. Juntamente conosco estava o pintor Heleno, artista e empreendedor também de Monteiro.
Érley Ventura e Dalila Gomes.
Durante o evento levamos as mais belas peças, elaboradas exclusivamente para  São João. A exclusividade do Ateliê esteve presente nas peças, elaborada em diversos materiais como MDF, metal, tecido, acetato e plástico. Esse ano a novidade está na revenda de peças semi prontas. As mesmas são adquiridas e passam por uma releitura a fim de ganhar personalidade e exclusividade.
Peças do Ateliê Artesanía Bijuterias.
Eu, Dalila Gomes, agradeço a todos que visitaram o espaço e compraram alguma peça. Saiba que você levou algo único que ajudará a construir ainda mais sua personalidade.

1 de maio de 2017

Ateliê Artesanía Bijuterias na Feira de Economia Criativa em Zabelê - PB

Portal de entrada da Feira construído por Érley Ventura e pintado por mim, Dalila Gomes.
Durante os dias 27 a 30 de abril na cidade de Zabelê, Paraíba, aconteceu a Feira de Economia Criativa promovida e organizada pela Secretaria de Cultura da Prefeitura. A feira estava integrada às comemorações de emancipação política da cidade e aconteceu juntamente com a 17º Corrida de Jegue. O objetivo primordial era divulgar o artesanato produzido em Zabelê e na região associado à possibilidade de geração de renda para os integrantes de associações e profissionais liberais que ali estavam.
Estande da cidade de Monteiro - PB, representado pelo Ateliê Artesanía Bijuterias e a Marcenaria Criativa Érley Ventura.
O Ateliê Artesanía Bijuterias teve o prazer de participar desse evento levando peças únicas e com design exclusivo. A exposição contou com colares, brincos, pulseiras e acessórios para cabelo fabricados por mim ou oriundos dos garimpos que sempre faço em viagens nacionais e internacionais.
Colares, pulseiras, brincos, organizadores de bijuterias e camisas personalizadas foram os produtos expostos durante a feira.

Confesso que a experiência foi extremamente proveitosa: pude representar, junto com a Marcenaria Criativa de Érley Ventura, a cidade de Monteiro, Paraíba; pude expor as peças desenvolvidas juntamente com Érley; e divulgar o trabalho do ateliê para clientes muito especiais.
Estante com os produtos do Ateliê Artesanía Bijuterias
Já estou animada para a próxima exposição, que ainda não sei onde será, mas espero que esteja próxima! Continue acompanhando as criações do Ateliê Artesanía Bijuterias pelo Facebook e Instagram, além de ver as peças criadas em parceria com Érley Ventura Marcenaria Criativa pela página da marcenaria no Facebook.

5 de abril de 2017

Casamento D&E: criando Convite no Canva

Vou casar, meu povo! Essa é uma notícia nova para mim e para a maioria das pessoas que me conhecem, mas um dia essa novidade tinha que ser contada. Em Monteiro conheci a tampa da minha panela, Érley Ventura, e decidimos nos casar em breve.
Muito amor em Olinda-PE.
Mas como todo a casamento que se preze, antes vem o noivado. Resolvemos noivar em maio, o tradicional mês das noivas, e na véspera do Dia das Mães, período também em que minha mãe completa 30 anos de casada com meu pai [que chique!]. Como estamos morando na Paraíba e vou noivar na Bahia, o convite tinha que ser virtual para ser distribuído com meus amigos e familiares baianos. Para criá-lo escolhi o site Canva e conto tudo aqui!
1. Fiz o login na minha conta no site do Canva, pois já tinha me registrado faz um tempo. Lembrando que o registro é totalmente gratuito e rapidinho de fazer.
Tela de início do site depois do login. Esse cartaz de "15 ideias..." eu tinha feito da primeira vez como um teste.
2. Estava buscando um modelo para convite e, quando cliquei em "mais +", um mundo se abriu. Meu Deus, nunca tinha visto tantos modelos antes! Eles tem modelos para post de redes sociais (Twitter, Facebook, Pinterest...), para documentos (currículo, papel timbrado, revista...), material de marketing (cartaz, cardápio, cartão de visita), eventos (cartão postal, convite de casamento, etiqueta...), etc. São mais de 100 modelos à disposição. Escolhi o modelo "convite de casamento", pois achei que o tamanho e as informações contidas atenderiam minha necessidade.
Alguns dos modelos disponíveis no Canva.
3. Ao clicar no modelo, ele carregou em outra aba layouts prontos do lado esquerdo e uma página em branco do lado direito. Percebi que nem todos os layouts são gratuitos, mas há uma grande variedade de opções free. Passei uns 15 minutos só babando, pois há muitos free que são lindos! Mais para quem não gostou de nenhum layout pré definido [coisa que eu acho difícil], mais para o final, ele também dá uma opção de layouts para você criar o seu de modo mais personalizado.
Gente, é tanto modelo que você nem sabe o que escolher!
Opções de layout livre do Canva.
4. Preferi escolher a opção pré-pronta e só editei com minhas informações. O processo de edição é muito fácil e intuitivo. O Canva tem as mesmas ferramentas de editores populares e está totalmente em português, assim você não vai precisar quebrar a cabeça pra entender o que pode fazer.

5. No meu convite consegui inserir também uma imagem que havia escolhido, um fundo [há muitos gratuitos e outros pagos] e ainda os elementos como imagens, gráficos, fotos... uma infinidade de opções. É interessante explorar o menu do lado esquerdo da tela para descobrir todas as opções que o site oferece.
Dá só uma olhada nas opções que tem do lado esquerdo da tela!
6. O Canva oferece a possibilidade de visualizar a produção em tela inteira e dar zoom na tela de edição, para ver melhor os detalhes. Durante a edição o próprio site faz o salvamento automático e te dá a opção de fazer uma cópia e baixar nos formatos JPEG, PNG e PDF normal e para impressão em alta qualidade [amei isso!]. Achei também incrível que o site tem memória, assim você pode criar sua produção, sair do site e acessá-la posteriormente para fazer edições futuras. Além disso, as opções de compartilhamento pelo Facebook, Twitter e e-mail estão ativas.
Depois do salvamento, a arte fica disponível dentro de sua área de usuário e permite que você a edite quando quiser.

E esse foi meu convite digital de noivado!
Conclusão: amei, amei e amei o Canva! Já decidi que vou usá-lo para elaborar todos os cartazes e documentos de meu casamento! Super recomendo o uso do site e já virei fã!

1 de abril de 2017

VIII Festival de Cultura Popular Zabé da Loca em Monteiro-PB

Homenagem da Prefeitura Municipal de Monteiro à Zabé da Loca. 
Nas noites dos dia 24 e 25 de março a cidade de Monteiro-PB sediou o VIII Festival de Arte Popular Zabé da Loca. Nesta edição o evento homenageou o monteirense Carlos Antônio Bezerra da Silva, o Totonho, da banda Totonho e os Cabra. Além dessa atração de peso nacional e internacional, o festival recebeu Sandra Belê, Maracagrande, Escurinho, Cabruêra, Dejinha de Monteiro, Pife Perfumado e outras atrações locais.

Totonho, homenageado do festival, vocalista da banda Totonho e os Cabra. Foto: Asley Ravel.
Escurinho. Foto: Asley Ravel.
Sandra Belê. Foto: Asley Ravel.
Na praça principal da cidade, a Praça João Pessoa, estava montado um cenário de reprodução da loca de Zabé, figura singular na cultura monteirense. A reprodução da loca trazia objetos que marcaram a vida de Zabé, hoje com 97 anos, e elementos que remetiam a edições anteriores do festival.
Reprodução artística da loca de Zabé.
Elementos que remetiam à vida de Zabé na loca.
Na  Rua José Galdino da Silva, principal da cidade, estava montado o palco que recebeu as atrações de todo o festival. A população de Monteiro compareceu em peso para prestigiar o festival e curtir boa música.
Também na praça estavam expostos peças de artesãos da cidade, ação que faz parte do projeto Arena Cultural, que visa fomentar a cultura e o artesanato local, mostrando o que a cidade de Monteiro tem de melhor. Era possível apreciar peças de renda renascença, objetos em feltro, crochê e madeira. Para mim a participação na feira foi muito importante pois o Ateliê Artesanía Bijuterias, gerido por mim, estabeleceu uma parceria com a Marcenaria Criativa Érley Ventura, produzindo peças exclusivas com uma marca da personalidade nordestina. Entre as peças produzidas em parceria estavam os suporte para celular, o pendurador de chave e as tábuas de carne personalizadas com a técnica de pirografia. As peças foram um sucesso na feira e conseguimos agradar todos os clientes que as compraram.
Peças da parceria.
Parceiros: Dalila Gomes e Érley Ventura. 
A primeira experiência de parceria rendeu muitos elogios e reconhecimento da população monteirense em relação ao nosso trabalho. Tenho certeza de que será a primeira de muitas. Se você quer conhecer mais o trabalho da Marcenaria Criativa Érley Ventura, acesse a página no Facebook. Para compras as peças, acesse a loja virtual.

28 de fevereiro de 2017

Provei! Gostei? #5: Nativa Spa do O Boticário

Bem vindos ao primeiro P&G de 2017! Ultimamente tenho me adaptado à minha nova vida de trabalho e estou ausente do blog, retomando aos poucos. Neste post quero comentar minhas impressões sobre os produtos de uma das linhas mais badaladas do mundo da beleza: a Nativa Spa.
A linha lançada pela O Boticário tem preços acessíveis [mas não populares], em troca de produtos cheirosos e de alta qualidade. Desde que mudei para Monteiro, PB [agosto de 2016] vim investigando produtos que pudessem diminuir o ressecamento da minha pele [aqui é super seco!], e até o momento, os produtos da Nativa Spa foram os melhores. Vamos saber porquê?
1. Cera Ultra Hidratante Corporal Frutoterapia Monoï & Argan
Um dos produtos que amei dessa linha foi a cera ultra hidratante para partes extremamente ressecadas como pés, cotovelos e joelhos. Na sua fórmula há dois potentes óleos: o de argan [originário do Marrocos e produzido com o fruto da Argânia] e o de monoï [originário da Polinésia Francesa, no Pacífico, obtido através da maceração das flores de Tiaré no óleo de coco]. A cera tem uma textura mais oleosa e é muito cheirosa, acho que até mais que o hidratante. Promete deixar a pele hidratada por 48 horas e, para mim, com certeza consegue atender a essa condição em um clima como o de Monteiro que bem seco. Eu uso sempre à noite nas pernas e nos braços, pois como é muito oleoso pode queimar a pele durante a exposição ao sol, porém não me descuido do protetor solar que é essencial.
Preço: R$ 51,90 por 100 g na loja virtual, mas fique de olhos nos descontos nas lojas físicas, pois a última vez comprei por R$ 29,90.
Onde encontrar: nas lojas físicas O Boticário, na loja virtual da marca ou com revendedoras.
2. Creme Ultra Hidratante Frutoterapia Monoï & Argan
O creme promete um alto poder de hidratação e, para isso, incorpora em sua fórmula dois óleos: o de argan [originário do Marrocos e produzido com o fruto da Argânia] e o de monoï [originário da Polinésia Francesa, no Pacífico, obtido através da maceração das flores de Tiaré no óleo de coco]. Indicado para peles ultra secas ele afirma proporcionar 96 horas de hidratação quando seu uso é diário e, além disso, ele tem um cheiro ótimo e uma textura muito firme sendo até difícil de passar na pele; para facilitar, às vezes, até borrifo água na pele para umedecer e depois o espalho. Confesso que ele cumpre a hidratação que promete, mas no meu caso, não por 96 horas como diz na embalagem, pois a região do Cariri paraibano é muito seca! A única ressalva que faço em relação a ele é a quantidade: apenas 180 g não dá conta e uso praticamente um a cada mês!
Preço: R$ 43,90 por 180 g no site, mas é sempre bom ficar de olho nas promoções. Já comprei até por R$ 34,90.
Onde encontrar: nas lojas físicas O Boticário, na loja virtual da marca ou com revendedoras.

3. Óleo Hidratante Revigorante Baobá & Tamanu
Esse óleo não faz parte da linha de tratamento como são a cera, o sabonete e o creme ultra hidratante, mas usei a fim de associá-lo ao combate do ressecamento da pele. O óleo tem na sua fórmula as essências [ou seriam óleos? Não sei ao certo] de baobá proveniente da África e o tamanu da Polinésia. O líquido é bastante fluido e não fica pegajoso na pele, dando a sensação de leveza e, como promete, deixa a pele com o toque de seda. O cheiro é maravilhoso e a hidratação é boa, prometido até 30 horas de hidratação. Sempre passo após o banho com a pele ainda úmida e, para mim, é a melhor forma de aplicação: espalho de modo uniforme e não uso muito. Confesso que para o clima que enfrento na cidade ele não é suficiente então, sempre associo com o hidratante, mas gosto da sensação e do cheirinho que ele deixa na minha pele.
Preço: não sei se ainda está à venda, mas tenho a impressão que saiu de linha. Comprei em uma promoção e paguei R$ 19,99 por 250 ml.
Onde encontrar: talvez nas lojas físicas O Boticário ou com revendedoras, pois na loja virtual estava esgotado quando escrevi este post.
4. Sabonete em Creme Frutoterapia Monoï & Argan
Enriquecidos com a mesma fórmula do creme e da cera ultra hidratantes, o sabonete líquido também da linha de tratamento da Nativa Spa é cremoso e bem sedoso na pele ao aplicar, além do cheirinho bem gostoso. O produto promete até 6 horas de hidratação. Bem, aí vem minhas dúvidas: não sei dizer se ele espuma bastante, pois a água da minha casa é de poço com alta quantidade de sal, e sabonetes nunca se mostram tão eficientes com esse tipo de água; além disso não sinto a sensação de pele hidratada [talvez pelo mesmo motivo de a água ser salgada], então por isso não gostei do resultado. Gostaria muito poder experimentá-lo em outro tipo de água, mas ainda não é possível!
Preço: R$ 31,90 por 150 ml, mas já vi promoções por até R$ 27,12 na loja virtual.
Onde encontrar: nas lojas físicas O Boticário, na loja virtual da marca ou com revendedoras.

7 de fevereiro de 2017

Meu primeiro Rapel: experiência com (muita) adrenalina!

Convite para o Rapel.
As coisas na vida sempre me surpreendem: passei boa parte dos meus anos querendo fazer algum esporte radical e finalmente aos 30 anos consegui! Logo ao chegar à Monteiro, Paraíba, procurei informar-me sobre as atividades da cidade, e descobri na universidade um grupo forte de esportes radicais: a Equipe Fire Man Turismo comandada por Robson Araújo, um colega de trabalho. Fui logo me filiando e a minha primeira aventura fui descer de rapel a Pedra do Elefante que fica na zona rural da cidade a, mais ou menos, 30 minutos do centro. Como sempre, a paisagem é apaixonante e peculiar, repleta de serras, vegetação escassa e muitas espécies de cactos e animais silvestres endêmicos do Cariri.
Chegando ao local. O acesso é bem fácil.
Panorama da região da Pedra do Elefante.
Nos reunimos em um domingo bem cedinho e partimos para o local. Robson foi o instrutor de rapel e, além disso também é bombeiro civil e possui larga experiência no esporte. Depois de instalar os equipamentos e verificar a segurança, começamos a descida. A Pedra do Elefante nem é tão alta, mas confesso que bateu um medinho... mesmo assim fui, porque era a oportunidade de realizar um sonho antigo.
Pedra do Elefante.
A subida até o topo era bastante íngreme, mas nada que não se supere! 
A galera esperando a sua hora. O bate papo lá em cima foi muito bom!
Depois de deixar os colegas descerem, eu fui quase a última a realizar a aventura. Coloquei os equipamentos, recebi as instruções, chamei pela misericórdia de Deus e comecei. Durante todo o tempo Robson estava acompanhando a descida, dando instruções e, lá embaixo, havia outro membro da equipe me auxiliando e incentivando-me verbalmente a prosseguir (como as palavras de incentivo fazem a diferença!).
Descendo...
Chegou minha vez!
Vou dizer: a experiência é incrível! Dá um frio na barriga, um medo de cair, insegurança, tudo isso misturado à alta adrenalina e a sensação de que você pode superar os seus limites e medos. Depois ainda desci pela segunda vez e foi uma experiência melhor que a primeira.
Ufa! Consegui!
Agora já posso dizer que fazer rapel não é complicado e que qualquer pessoa pode arriscar sim! E se você mora em Monteiro, fique atento às programações da Equipe Fire Man Turismo através da página no Facebook "Bombeiro Civil Fire Man".
Um xêrooooo e até a próxima aventura!