25 de janeiro de 2014

Barra 360° em Salvador, BA

Bom, meu verão a maioria das vezes é em Salvador. Acabo mudando uns meses pra relaxar e curtir o que a cidade tem para oferecer. Preciso confessar que nos últimos anos a cidade esteve abandonada, mas acredito que essa nova gestão irá mudar a cara do lugar. Quem visitou Salvador esses últimos meses percebeu que a cidade virou um enorme campo de obras. Consertos à parte, quero contá-las meu passei pelo Barra e em especial a visita ao Forte Santo Antônio da Barra ou, carinhosamente, Farol da BarraNeste dia resolvi fazer uma visita à parte interna do farol e ver a exposição no Museu Náutico organizado e gerido pela Marinha do Brasil. Realmente é lindo!
Panorama do Porto da Barra.
Primeiro visitei a área externa do farol que me presenteou com uma vista panorâmica da Baía de Todos os Santos. Fiquei só imaginando como seriam as observações dos navios inimigos que se aproximavam da primeira capital do Brasil... Em seguida, subi uns tantos degraus de uma escada circular pra chegar à torre do farol. De lá se pode ver a lanterna do farol e uma linda vista 360°. Fiz um vídeo só pra ter uma ideia de como é.
Por fim, visitei o acervo do Museu Náutico com peças bem interessantes, com a história da navegação na Bahia.
[sup. esq.] Forte do Porto da Barra. / [sup. dir.] Eu e minha surpresa só olhando tudo de cima... / [inf. esq.] Mega zoom pra pegar o Morro do Cristo / [inf. dir.] Praia da Barra e Av. Oceânica.
O que mais me interessou foram os anúncios. Alguns estão aqui: 
Reprodução de anúncios de venda, aluguel e compra de escravos africanos.
O look pra essa visita foi bem praia: mini vestido animal print + chapéu + óculos bolsa + sandália. Não dispensei um anelismo com uns maxi que amo! Com este look fresquinho só lembrei do que disse o blogueiro Matthew Zorpas no Twitter: "É muito difícil ser chique no calor", mas eu tento!
Quando forem à Salvador, BA, não deixem de visitar o Farol da Barra. A vista lá de cima é linda!

20 de janeiro de 2014

Biju na Praia dá? Edição 2014

Nesse post comento o grande tema do Verão: biju na praia dá? Levei esta discussão no verão passado no post Biju na praia dá? e continuo defendendo que na praia podemos sim usar bijus. As dicas são mesmas: bijus feitas com materiais naturais, alguns tipos de sintéticos, tecido, acrílico, pedra natural, ou feitas com prata, ouro ou aço, as quais não são danificadas pelo salitre. Tenho algumas dessas no meu inventário pessoal e mostro a você minhas escolhas.
As shambalas são ótimas principalmente pelo seu material, que resiste ao salitre. Um mix delas fica ótimo. Esta foi feita por mim com fio de algodão e peças de cerâmica. Os anéis devem ser feitos com materiais bem resistentes. Esse é com casca de coco e casco de tartaruga. Comprei em uma loja no Pelourinho, BA [mas não lembro o nome].
1. Brinco feito com pele sintética comprado na Aldeia Hippie de Arembepe, BA [conto no post A mística Arembepe, BA como foi minha visita]. Não recomendo molhar, mas é resistente ao salitre.
2. Brinco de madeira com fios de linha de crochê. Recomendo que não molhe, pois a madeira pode estragar [na verdade, nunca o molhei!], mas resiste bem ao salitre.
3. Brinco de linha, ponto de tricô. Perfeitos para ir à água, pois secam rápido e não se danificam.
1. Colar de pérolas de água doce.
2. Colar de pedras ônix.
3. Colar de pérolas de água doce e mini miçangas.
Todos estes são ideais para molhar, são resistentes à água salgada e ao salitre.
1. Pulseira de plástico revestida com fita de cetim e pulseira de bolas plásticas. As duas foram feitas por mim.
2. Conjunto de pulseiras de couro sintético compradas na Marisa. Resistem muito.
3. Pulseira em madeira. Recomendo não molhar, apesar de terem uma pintura envernizada. Comprada na C&A.
4. Pulseiras de plástico revestidas com fio rabo de rato em plástico. São ideias para molhar, pois secam rápido. Essas também foram feitas no meu ateliê.

Mas atenção!
# Essas dicas valem em sua totalidade para quem não vai bronzear-se por horas ao sol ou tomar banho de mar. Parece absurdo o que digo, mas há pessoas que vão na praia e não gostam de passar horas ao sol ou tomar banho de mar [como eu!], por isso defendo a ideia de que é possível usar bijus na praia.

## Se você estiver com as bijus e resolver tomar sol ou banho, recomendo que as tire, evitando perdê-las ou ganhar um bronze com a marca da biju.

### Geralmente os fechos e os pés para brinco são feitos com ferro ou um metal que não resiste ao salitre. Já existem fechos e pés para brinco feitos com aço inox, prata e ouro. Recomendo que troque pelo menos nas peças que são usadas na praia a fim de garantir a durabilidade. 

Créditos. Agradeço a Gabri Penna por fotografar as peças com todo cuidado. As fotos foram tiradas na praia da Pedra do Sal em Salvador, BA.

11 de janeiro de 2014

DIY: bracelete Étnico

Chegou o primeiro DIY de 2014Para ele me inspirei na tendência Étnica deste grandioso verão e no mix de pulseiras que sou fã. É um DIY muito simples com resultado bem charmoso. Vamos lá?

Você vai precisar de: um bracelete de ferro ou plastico, três pulseiras de macramê, cola instantânea e tesoura.
Modo de fazer:
1. Encontre o meio do bracelete e comece a colar a pulseira com a cola instantânea em uma das extremidades. Arremate as pontas colando-as para baixo do bracelete.
2. Cole as outras pulseiras ao lado da primeira que esta colocada na parte central. Prontinho! 

#Dicas
  • O bracelete pode ser de qualquer material. Acredito que de plástico seja melhor para a fixação com cola instantânea.
  • A quantidade de pulseiras de macramê vai depender da largura do bracelete: quanto mais largo, mais pulseiras.
  • Além da cola instantânea, pode ser usado cola quente, mas esta não serve para superfícies frias.

9 de janeiro de 2014

Relax em Boipeba, BA

Boipeba é meu lugar do coração. Depois de trabalhar lá por alguns meses, voltei pra relaxar algumas vezes [contei aquiaqui] e em 2014 voltei mais uma vez pra um relax. Eu #precisava e meu Love #merecia. Desta vez vi Boipeba cheia: tinha muitos hippies que estavam no Universo Paralelo [uma grande festa reave que rola todo ano na região] e todos migraram para Boipeba a fim de curtir o clima zen do lugar. Bom, exceto isso o lugar é sempre uma delícia!
Recebi um grande presente lá: o Restaurante Flor da Lua, super lindo e chique, administrado por um francês. O lugar distoa da paisagem de Boipeba por ser refinado, mas eu altamente recomendo. A escolha da noite foi um fondue misto ao molho madeira + molhos + salada mista + fritas. Nossa! Um mix de sabor!
Meu Love só se deliciando...
Depois dessa delícia, fizemos uma bela trilha no caminho do trator Boipeba-Moreré e vimos a beleza interna de Boipeba: a variedade de plantas como cajueiros e mangabas, vários tipos de pássaros e a tranquilidade de um lugar que perece que o progresso não tocou.
Eu caminhando bunita... fazendo charme [sup. esq.] / Trator para levar as pessoas de Boipeba à Moreré [sup. dir.] / Eu fazendo charme de novo, agora de costas [inf. esq.] / Caminho percorrido por pessoas ou pelo trato à caminho de Moreré [inf. dir.]. 
Moreré com maré baixa.
Pra fechar a viagem, siririca da Dany. Explico: siririca é o nome popular dado à masturbação feminina. Bem, a siririca da Dany não tem nada a ver com isso! É um pequeno bolo de tapioca salgado recheado de salada. Realmente é exótico!
Sirica da Dany.
Esse relax valeu muito a pena. Conheça Boipeba: realmente é um lugar encantador!

1 de janeiro de 2014

2014 e a Árvore os Desejos

Mais um ano passou. Você já parou pra repensar seu 2013? Lembra-se dos desejos que fez naquela madrugada de  31 para 01 ano passado? Eu lembro algumas coisas que pedi e, muitas delas consegui realizar. De verdade, não tenho que reclamar de 2013. Apesar do 13, foi um ano de muita benção! Enquanto escrevia esse post, resolvi perguntar a meus amigos via Facebook:
E você, o que espera de 2014?
E muitos deles escreveram seus desejos. Ao lê-los automaticamente lembrei da "Árvore dos Desejos". Explico: no conceito indiano de paraíso existem árvores-dos-desejos. Você simplesmente senta debaixo delas, deseja qualquer coisa e imediatamente seu desejo é realizado - não há intervalo entre o desejo e sua realização (em Contandohistorias). Baseada nessa parábola resolvi colocar todos os desejos em árvores:
Nossa, que onda de coisa boa nestas árvores!
Em 2014 quero ver você não chorar, nem olhar pra trás, não se arrepender do que faz... Também quero que você:

Feliz 2014!